terça-feira, 30 de junho de 2009

Make me dream :')

Quando a distância é grande, encurta-se. Basta querer. Está quase... :)



Hey there Delilah
What's it like in New York City?
I'm a thousand miles away
But girl, tonight you look so pretty
Yes you do
Times Square can't shine as bright as you
I swear it's true

Hey there Delilah
Don't you worry about the distance
I'm right there if you get lonely
Give this song another listen
Close your eyes
Listen to my voice, it's my disguise
I'm by your side

Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
What you do to me

Hey there Delilah
I know times are getting hard
But just believe me, girl
Someday I'll pay the bills with this guitar
We'll have it good
We'll have the life we knew we would
My word is good

Hey there Delilah
I've got so much left to say
If every simple song I wrote to you
Would take your breath away
I'd write it all
Even more in love with me you'd fall
We'd have it all

Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me

A thousand miles seems pretty far
But they've got planes and trains and cars
I'd walk to you if I had no other way
Our friends would all make fun of us
and we'll just laugh along because we know
That none of them have felt this way
Delilah I can promise you
That by the time we get through
The world will never ever be the same
And you're to blame

Hey there Delilah
You be good and don't you miss me
Two more years and you'll be done with school
And I'll be making history like I do
You'll know it's all because of you
We can do whatever we want to
Hey there Delilah here's to you
This one's for you

Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
Oh it's what you do to me
What you do to me.

Apetece-me...

Hoje apetecia-me tantas coisas que nem vale a pena começar a enumerá-las... Foi um dia em que andei com a cabeça sempre a trabalhar, apetecia-me isto, aquilo e ainda outra coisa... Mas apetecia-me sobretudo não estar aqui em casa, no deserto alentejano...

Hoje apetecia-me gritar... Gritar que te amo!
Mas... Sou uma pessoa controlada e não faço isso.

O que vou fazer sim é ir para a cama que, além da bela dor de cabeça que me acompanha há dias (estudar faz mal, não estudem!), tenho de acordar cedinho para estudar... E deixa lá ver como vou acordar amanhã, espero que não como hoje :'|

Kiss kiss bang bang :')

domingo, 28 de junho de 2009

Sunday night

Hoje é apenas mais um Domingo no meio de tantos, pelo menos no meio de 52 que o ano tem. Talvez este seja mesmo o domingo número 26 do ano, mesmo a meio. No próximo domingo já estamos em Julho e já passámos o meio do ano.

Hoje choveu! Torrencialmente... Nem parece que estou no meio do deserto alentejano em pleno verão. É estranho, mas choveu e está uma brisa nocturna mesmo esquisita. Nada normal nesta altura do ano, muito menos aqui.

Não me apetece escrever, não me apetece estudar, não me apetece dormir, não me apetece sair... Basicamente não me apetece fazer nada. Hoje só saí de casa para ir beber café depois de jantar e, mesmo assim, não me apetecia ir. Apetece-me estar deitada na cama, de barriga pra cima a olhar para o tecto. É mesmo a única coisa que me apetece fazer... Não! Também me apeteciam uns miminhos. Depois de tantos beijinhos, de tantos "gosto muito de ti", "temos saudades tuas", "quando é que voltas?", "temos de sair mais vezes", depois de tudo isto ontem... Hoje sinto-me nostálgica. Queria estar em dois sítios ao mesmo tempo e, sinceramente, não sei em qual queria estar mais! O mais estranho é que queria estar nos dois ao mesmo tempo, por uma coisa tão diferente e tão parecida ao mesmo tempo... Tanto num como noutro sítio, tenho a certeza que me iriam fazer sentir bem. Feliz.

Hoje estou assim, nem sei como estou... :( e odeio estar assim.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

De volta ao deserto alentejano

Chiça! Que terra mais fria! Sai uma pessoa do deserto alentejano, onde está um calorzinho agradável de praia (aquela praia que não temos) e quando se chega ao P.N. está um frio que não se pode... Felizmente eu tinha mais roupa lá do que aquela que levava e agora deixei ainda mais roupa lá. Porquê? Assim tenho a certeza que volto para a ir buscar xD não foi por isso, foi mais porque nunca se sabe como estará o tempo daqui a um mês.

De mês a mês vou ver o tempo lá, se bem que agora não posso ficar um mês sem lá ir pois não há quem ature as minhas neuras quando estou um mês parada no mesmo sítio, entenda-se por mesmo sítio aqui o deserto alentejano.

Só já faltam 29 dias para fazer um mês :P mas acho que não consigo estar um mês sem lá voltar... Eu quero ir à praia daqui a menos de um mês! Praia mesmo, daquela com areia, mar, ondas e gajas de biquini. E gajos de calções de banho e tanga também, mas eu faço parte das gajas do biquini. Só de pensar que há pessoas na praia este fim de semana enquanto a minha pessoa irá estar a estudar a tarde de sábado inteira para ter um exame às 18h... Ai, até me dá uma vontadinha de me despir, vestir o biquini mais reduzido e por-me de papo para o ar a apanhar banhos de sol! Hum... Só de imaginar até fico com calor...


I wish...


Edit: 1º - Estou extremamente solidária com o falecimento do Rei da Pop, Michael Jackson. Não era fã confesso, mas para quem era lamento imenso a vossa perda.
2º - Opá!!! Alguém viu o Você na TV hoje?! :o nunca vejo, mas hoje por acaso vi (realmente eu no P.N. não faço nada). Uma mulher foi morta à pedrada pelo companheiro porque durante o acto sexual porque não se mexia? Em que mundo vivemos? Será que o homem poderia considerar que a senhora poderia estar cansada?! Ou então que não seja muito demonstrativa nos sentimentos... Realmente fiquei em choque! :o

quarta-feira, 24 de junho de 2009

A caminho... [Parte 2]

Hoje é quarta-feira sim! Ia ter exame sim! Mas não tenho... Só para a semana. Por isso e por muito mais, vou hoje para o P.N.! Finalmente! Vou! Daqui a menos de duas horas já estou a caminho e não sei porquê hoje sinto um nervoso miudinho na barriga :$.

Acho que é mais especial porque não tinha planeado ir hoje, só amanhã e afinal há sempre surpresas boas... Vou deixar o deserto por uns dias e vai-me saber mesmo bem... Mas o que me vai saber ainda melhor, melhor do que deixar isto para trás e todas as outras coisas durante 3 dias, é que vou matar saudades, ou pelo menos tentar atenuá-las um pouco!

Vou a caminho!

Volto sexta :)

Kiss kiss bang bang *\o/*

Estupidez Aguda

Se isto se pode chamar de doença, há muita gente que sofre dela... Se é que se pode chamar mesmo de doença, eu sofro dela! Às vezes consigo ser tão estúpida que nem consigo acreditar que sou mesmo eu, se saísse do meu corpo e me visse não acreditava que era mesmo eu em certos momentos!

Confesso, sou estúpida! E normalmente sou estúpida para aqueles de quem gosto mais... Expludo sem pensar nas consequências porque na altura penso que é o melhor e, nos 5 minutos seguintes, arrependo-me logo... Como na maioria dos casos, o arrependimento de nada vale. O mal está feito, dito e puff... Done!

Talvez seja assim tão fácil e eu complique, ou goste de complicar. Mas na minha cabeça há um turbilhão e nem a coisa mais simples me parece fácil. Tudo é complicado e estar aqui, agora neste momento, neste exacto momento... Complica tudo!

Preciso de ti... Preciso mais de ti do que pensava e, só o facto de admitir isto, custa-me. Talvez te cobre demais, não sei se cobro ou não... Mas tens de ser tu a dizer-me. Não te cales, diz-me! Chama-me totó, diz que sou parva, manda-me passear... Qualquer coisa! Mas diz!

Custa! E cada dia que passa custa-me mais e está a ficar insuportável para mim, por isso se calhar sou assim para ti... Por isso se calhar exijo mais de ti. Não sei, não sei porquê...

Desculpa...

Amo-te...

domingo, 21 de junho de 2009

Porque uma imagem vale mais que mil palavras



Se há coisa que aprendi foi a nunca negar o que se sente e a demonstrá-lo sempre que possível. Sabe-se que a maioria das pessoas raramente o faz, por medo da rejeição, por vergonha, ou simplesmente porque não se pode deixar cair a capa de durão (ou durona).

Nunca vi mal nenhum em mostrar o que se sente, muito pelo contrário. Para mim, as pessoas que demonstram, de uma maneira ou de outra, têm muito mais valor do que as que escondem, seja por que razão for.

Por isso decidi colocar aqui esta imagem, diz tudo com 3 letrinhas apenas e para todas as pessoas de quem gosto. Não vou enumerar porque entre elas há amigos, ex-colegas de trabalho (quiça futuros colegas... again), pessoas que apesar de longe estão no meu coração e claro, pessoas parvas também!!

Uma imagem vale mesmo mais que mil palavras... :)

sábado, 20 de junho de 2009

Done ^^

E cá está! Mais um dia, mais uma voltinha, mais uma tarde a morrer de calor!

Bem, espero e espero mesmo que já tenha uma disciplina feita. E também espero que o senhor professor não venha ler isto, mas se vier... Senhor professor, eu adoro-o :D assim do fundinho do coraçãozinho! E tenho de lhe agradecer ter feito o teste que fez e já não preciso de afogar as mágoas hoje, pelo menos não pelo seu teste. :')

Então.. Done! :) Venha o próximo desafio que eu adoro desafios :) *\o/*

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Amar

"Quando se ama alguém, tem-se sempre tempo para essa pessoa. E se ela não vem ter connosco, nós esperamos. O verbo esperar torna-se tão imperativo como o verbo respirar. A vida transforma-se numa estação de comboios e o vento anuncia-nos a chegada antes do alcance do olhar. O amor na espera ensina-nos a ver o futuro, a desejá-lo, a organizar tudo para que ele seja possível. É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver."

in "Diário da tua ausência" de Margarida Rebelo Pinto.

Já tinha lido este parágrafo, está na contracapa do livro e reconheci-o quando o li a algumas páginas do fim. Foi este parágrafo que me fez apaixonar pelo livro e o querer! Este livro é um diário que a Margarida Rebelo Pinto escreveu a um grande amor que não vivia em Portugal, um amor que apareceu na vida dela quando ela menos esperava e que se tornou tão grande e tão mágico que deu um livro. Um diário.

Toda a gente já teve um diário, ou tem ainda. Eu tenho. Tem 4 páginas escritas e não escrevo nele há exctamente quatro anos. Faz agora quatro anos. Acho que na altura estava tão magoada e triste que as palavras saiam sozinhas, era preciso deitar cá para fora tudo e mais alguma para a "fonte" poder secar senão qualquer dia desidratava. Agora ao ler rio-me e penso que fui tão parva na altura. A única coisa que eu devia ter feito era deixar ir, esquecer e correr no sentido oposto... Vendo agora a realidade penso que me safei de boa! E não estou a dizer isto como uma espécie de consolo, não! Safei-me mesmo de boa!

Há tantas formas de amar, nós amamos os nossos pais, os nossos irmãos, os nossos amigos e até os filhos dos nossos amigos. Porque é que o amor por outra pessoa com quem temos, pensamos vir a ter, ou tivémos uma relação é tão diferente e dói tanto quando não correspondido? Acho que ainda ninguém soube responder a esta pergunta de uma forma tão elaborada que me consiga convencer.

Há amores e amores. Há aqueles que nos deixam a sonhar dois dias, dois meses, dois anos... Duas décadas. Acho que todas as pessoas sonham em ter um grande amor... Para quê? Se há uma coisa que aprendi é que o amor faz-nos sempre sofrer! Para quê ser muito feliz se depois dói tanto que parece que nos tiram um bocado? Ser feliz faz com que nos esqueçamos da dor? Não faço a mínima ideia.

"Tenho muitas saudades tuas. E saudades do tempo em que confiávamos um no outro e sentíamos que estávamos no mesmo barco, porque mesmo longe, queríamos ajudar, proteger e apoiar o outro em tudo, de uma forma incondicional e total, queríamos amar-nos e dar-nos um ao outro. Mas tenho ainda mais saudades de me sentir cheia de amor por ti. Será que não amamos os outros pelo que são, mas por tudo o que nos fazem sentir? Sempre quis ser a pessoa que fui quando estava contigo, tu sabias, sem saber, exaltar o meu lado melhor, mais profundo, mais elevado, mais optimista. Sentia-me bela, segura, serena e perfeita ao teu lado. Sentia-me completa, e é na plenitude que se pode encontrar a felicidade."

in "Diário da tua ausência" de Margarida Rebelo Pinto




Tenho saudades...

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Encontros e desencontros

Parece que a vida está cheia deles... Encontros e desencontros. Quando nos queremos encontrar acontece sempre qualquer coisa que faz com que isso não aconteça e quando não queremos, ui... Parece sina!

Hoje lá fui eu toda contente (ou não) ter a minha aulinha às 16h com o meu professor preferido, acho que até ia quase doente só de pensar que ia ficar meia hora sozinha com ele... É o massacre total! Mas pronto, lá fui eu cheia de vontade de aprender mais e tentar espremer o senhor sobre o bendito teste de sábado às 19h. Dúvidas não tenho muitas, ou então tenho todas porque digamos que física para mim não é muito compreensível... Principalmente se meter partículas e fluidos que eu nem sei bem o que são, mas na maioria das vezes é o belo do ar ambiente. Enfim, 16h em ponto e lá estava eu a entrar no laboratório para ver do senhor... Nada! Bem, sentar ao lado da máquina do café é bom porque é um sítio em que, nesta altura do ano, corre uma bela de uma aragem fresquinha e eu estava, literalmente, a morrer de calor.

16h15 e nada! Onde andaria o senhor?! Lá vai a bela da moça (formosa também) ao gabinete, poderia o senhor estar esquecido. Mas, o senhor não estava no gabinete. Passado mais uns minutos sentadinha ao lado da máquina do café, decidi ir ao laboratório novamente, não fosse o senhor ter ido para lá na altura que eu fui ao gabinete. Nada também! Chiça que o homenzinho parece que se tinha evaporado!! Meia volta e tornei ao gabinete.. Nadinha de nada!

Até que, já acompanhada, feitas espertas decidimos perguntar! Ora então o senhor pensava que a aula era as 14h quando na verdade no horário consta que é às 16h! Isto de mudar de horário todas as semanas é complicado para quem anda a tentar estudar, a cabeça anda ocupada com outras coisas e trocam as voltas a uma pessoa.

Resumindo e concluindo, sábado há teste (será?), não percebo nada, o senhor provavelmente irá colocar matéria que não foi leccionada e não conseguimos ver o livro da bibliografia (que por acaso é da autoria do senhor) integralmente na net porque o belo do google só deixa ver umas páginas! Livro esse que não consta na biblioteca e que na net custa a módica quantia de 84€. Está mais que visto a nota que vou ter, não é?

Depois dou novidades :) Kiss kiss bang bang :)

quarta-feira, 17 de junho de 2009

A caminho...

Quarta-feira, meio da semana e as aulas ainda nem começaram. Basicamente para mim a semana ainda nem começou e, tendo a noção que vou ficar na universidade até às 21h de sábado, estou bem disposta. Why? Bem... Pequenas coisinhas que fazem ficar uma pessoa bem disposta, como por exemplo estar calor, uns dias lindos para não se fazer nada, ou para passar na esplanada a beber um ice-tea de pêssego, ou simplesmente uma água fresquinha e um geladinho de chocolate! Mas acima de tudo, sabe ainda melhor saber que quarta-feira não estou na terrinha e que vou estar bem melhor do que cá! Portanto...

Vou para o P.N. :)

Volto na quinta :(

P.S. - Infelizmente volto mesmo :(

Edit: Não fui e estou de bad mood hoje! Hoje sim é um daqueles dias horríveis, maus e em que tudo corre mal... E para piorar tudo, tenho saudades e dói :(

terça-feira, 16 de junho de 2009

Músicas de outros tempos

Há aquelas músicas que nos marcam, que por uma razão ou por outra, nós deixamos de ouvir ou simplesmente tentamos esquecer que um dia já ouvimos e gostámos.

Há aquelas músicas que nos fazem lembrar uma determinada pessoa e que podemos ouvir vezes e vezes sem fim que nunca nos fartamos, mas também quando nos fartamos nunca mais ouvimos.

Hoje ouvi uma música que não ouvia há muito tempo, talvez anos mesmos. Diria mesmo que esta música marcou um momento de viragem na minha vida e hoje quando a ouvi novamente, depois de tanto tempo, recordei pequenos momentos que julgava apagados... E ri-me, às vezes passamos por coisas tão parvas que nem ligamos e nem queremos voltar a pensar nelas... Mas se voltarmos a pensar nelas por um momento, podemos perceber que tudo acontece por uma razão.

Aqui vai a música...

Donna Maria - Quase Perfeito



Sabe bem ter-te por perto
Sabe bem tudo tão certo
Sabe bem quando te espero
Sabe bem beber quem quero

Quase que não chegava
A tempo de me deliciar
Quase que não chegava
A horas de te abraçar
Quase que não recebia
A prenda prometida
Quase que não devia
Existir tal companhia

Não me lembras o céu
Nem nada que se pareça
Não me lembras a lua
Nem nada que se escureça
Se um dia me sinto nua
Tomara que a terra estremeça
Que a minha boca na tua
Eu confesso não sai da cabeça

Se um beijo é quase perfeito
Perdidos num rio sem leito
Que dirá se o tempo nos der
O tempo a que temos direito

Se um dia um anjo fizer
A seta bater-te no peito
Se um dia o diabo quiser
Faremos o crime perfeito

Shame on me!

Escrevi um post enorme! Um testamento mesmo... E tive vergonha de o publicar, de o por aqui.

Quando estava quase quase a clicar em "publicar postagem" pensei que há coisas que não devem ser publicadas, coisas que devem ficar só para nós... Ou, neste caso, coisas que devem ser só ditas a uma pessoa. E só depois de as dizer, ou de ganhar coragem para as dizer, talvez as ponha aqui. Por enquanto ficam para mim, é um rascunho que se fosse em papel não tinha um único risco porque todas as palavras fluiram, porque é sincero e verdadeiro.

Shame on me! Devia estar na cama a estas horas mas é... Shame on me! x|

sábado, 13 de junho de 2009

Deserto alentejano

Bem, parece que é verdade... O calor veio para ficar!

Chegou o tempo em que para além das mil coisas que eu trago dentro da mala, começo também a ter sempre uma garrafinha de água... Pois é, eu preciso de me hidratar senão fico com a pele feia (mais ainda lol) e também vou começar a gastar baton do cieiro (sim, ainda mais!), o que tem de ser tem muita força.

Aqui vai um pedido para os meus (2) leitores... EU QUERO PRAIA MEUS AMIGOS!!! :'| P-R-A-I-A! Isto está a ficar impossível de se suportar... O vento quente, uma pessoa quer respirar e parece que o ar está irrespirável, veste-se uma t-shirt acabadinha de tirar da gaveta e ainda não se está à porta da rua já está toda molhada de suor! INSUPORTÁVEL! Eu adoro o calor, praia, gajos bons de tanga.. Ups, esta última parte não... Mas gajos bons sim, na praia, semi-nus, daqueles gajos que só apetece babar por eles... Hum... Pronto, é melhor deixar de imaginar senão vou ter sonhos eróticos esta noite xD

Anyway, hoje apercebi-me como é difícil arranjar um lugar nesta cidadezinha do interior quando chega o calor... Parece que sai tudo à rua, apesar de quase não haver esplanadas e a maioria dos cafés fechar às 22h/23h mas enfim, é a cidade que temos. Realmente o tal ministro tinha razão quando disse que a margem sul era um deserto, mas ele não sabe que o interior alentejano é ainda mais... Acho que o vou convidar para cá vir passar uns dias, pode ser que me pague um belo geladinho na Zoka :D~ ou então não...

Continuando, o que é que eu ia dizer a seguir?! Ah já sei... Para a semana começa a Feira cá da cidade!!! Weeee animação!!! Desde que haja barraquinha da sagres, há animação... Ver se convenço alguém que eu conheço a ir comigo depois de um certo exame no dia 20, há que afogar as mágoas!

E pronto, quarto post incoming :P e não digam que não sou amiga, sempre se podem rir com as minhas parvoíces né? Qualquer dia há mais...


Make a wish...
I wish... I was... Nas festas do P.N. hoje... queria tantoooooo :(

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Quando for grande

"Eu quando for grande quero ser como tu!"


Um dia ainda vou alguém ouvir dizer esta frase, quando for assim uma engenheira a sério, ganhar 5500€ por mês e tiver um Bentley parado na garagem. Mas para ter um Bentley parado na garagem, preciso de comprar uma casa com garagem, antes disso ainda preciso de ter dinheiro suficiente na conta bancária para pedir um empréstimo para aquisição de habitação (com garagem claro, preciso de por lá o Bentley). Ahhhh e também preciso de dinheiro para o Bentley.

Ora então, acho que vou conseguir ter dinheiro para isto tudo no ano 2050 e aí já terei idade suficiente para me reformar e contar as histórias aos meus netinhos e aí sim, nessa altura eles vão dizer "Eu quando for grande quero ser como tu avó!" :') e vão-me encher de orgulho.

Isto tudo para ter o meu terceiro post no blog, há realmente quem não faça nada da vida... tipo eu, né? Pois, isso... Devo ter razão! Estou a começar a queimar o tico e o teco... curto circuito! Socorro! Puff.. DONE!

A minha vida em 3 paragrafos

Era uma vez uma menina muito pequenina que nasceu num belo dia de verão, com o cabelo muito preto e com umas bochechas enorme. Para alegria de todos, nasceu no dia dos anos de outro familiar e durante estes 22 anos (quase 23) há sempre duas festas de anos no mesmo dia.

Um belo dia essa menina foi para a escola primária onde tinha uma professora muito boazinha! Adorava essa professora... Infelizmente na 3ª classe (sim, na minha altura ainda era 3ª classe) a professora mudou e ficou na escola uma professora que, desculpem o termo, era uma cabra. Depois aos 10 anos esta menina foi para o 5º ano, lá conheceu muita gente nova e fofinha (sim!!! FOFINHA!!!) e também descobriu os prazeres do Monopólio... 10º, escola nova, colegas novos (velhos) e amigos novos (e alguns velhos)! Finalmente... UNIVERSIDADE!!!! Uiii... ser Engenheira não é para todos... por isso faxabori de me tratarem como tal!

Mundo do trabalho: Tão boooooooooommmmmmmmm e tão mau ao mesmo tempo! Tantas pessoas novas, tantos chefes que têm idade para ser nossos pais e pelos quais temos de ter respeito e... temos mesmo de trabalhar! Finalmente é altura de sair de casa para ir trabalhar (sim, porque a Universidade que escolhi era na terrinha) e claro... Continuar a estudar (mestrado, apesar de a vontade ser nula o bolonha obriga-nos a tal). Ora então... Ao sair de casa a menina, que um dia já foi pequenina, deparou-se com algumas situações menos boas: pagar renda de casa, água, luz, gás e ainda ter dinheiro! Felizmente os pais continuavam a dar de comer à menina (não à boca, que a menina já é grandinha), se assim não fosse era ainda mais complicado. Para acabar e não menos importante, depois do trabalho vem o desemprego e com este último a incapacidade de se aceitar como desempregado. E pronto... é assim, a minha vida em 3 paragrafos. Resumindo, nasci, estudei, estudei mais, trabalhei e agora estou desempregada.


P.S. - No meio desta "coisinha" toda há tanto que ficou por dizer, mas que não vou dizer porque isso fica para o meu livro... Ah pois é!

domingo, 7 de junho de 2009